Diretor Técnico Sérgio Rogério Skrobot R.Q.E. 2950 | CRM 1775

Estreitamento da Uretra (Estenose)

Estreitamento da Uretra (Estenose)
A estenose de uretra (estreitamento) pode surgir por diversas causas e pode resultar em uma série de manifestações, desde uma apresentação assintomática ao desconforto grave secundário a uma retenção urinária. O estabelecimento de drenagem eficaz da bexiga pode ser um desafio e é essencial um profundo conhecimento da anatomia da uretra e da tecnologia urológica. Consulta com um urologista deve ser obtida para qualquer paciente que se apresente ao departamento da emergência com retenção urinária secundária à estenose uretral
Estenose uretral pode resultar de reações inflamatórias, isquêmicas ou traumáticas. Estes processos levam à formação de tecido cicatricial; isso diminui o calibre do lúmen uretral, causando resistência ao fluxo de urina.
O estreitamento da uretra é o termo que geralmente se refere à cicatrização do tecido esponjoso erétil do corpo esponjoso. Ocorre após uma lesão no urotélio ou corpo esponjoso formando tecido cicatricial.
A apresentação mais comum inclui sintomas urinários obstrutivos, retenção urinária ou infecções urinárias. Sintomas urinários obstrutivos são caracterizados por uma diminuição da força do fluxo, esvaziamento incompleto da bexiga, gotejamento terminal e intermitência urinária. Estes sintomas são progressivos em muitos pacientes.
O tratamento cirúrgico da estenose uretral é indicado quando o paciente apresenta graves sintomas urinários, cálculos na bexiga. O aumento do volume residual pos-miccional, ou infecção do trato urinário ou quando o tratamento conservador falha. O tratamento depende da localização e extensão da lesão. As principais modalidades de tratamento incluem dilatações, uretrotomia interna e plástica da uretra, inclusive com técnicas de enxerto de outros tecidos.