Diretor Técnico Sérgio Rogério Skrobot R.Q.E. 2950 | CRM 1775

Postectomia

A Postectomia ou circuncisão, é um procedimento cirúrgico que consiste na remoção do prepúcio (prega cutânea que recobre a glande do pênis). Este procedimento é realizado a mais de 5 mil anos. Segundo dados publicados pelo Ministério da Saúde (OMS), aproximadamente 30% dos homens no mundo todo são circuncisados.
Possivelmente, é a cirurgia mais antiga e frequentemente realizada do mundo. Na cultura islâmica e judaica, a circuncisão é realizada em todos os recém-nascidos do sexo masculino, sendo que nos demais povos, a circuncisão é realizada somente quando devidamente indicada. As principais indicações são:
-Fimose (quando o prepúcio encontra-se cobrindo toda a glande, levando a formação de um anel fibroso em sua extremidade que dificulta a retração da pele e exposição da mesma).
-Processos inflamatórios crônicos, conhecidos como balanopostites.
-Desconforto durante o ato sexual pelo excesso de prepúcio. É importante ressaltar que somente a presença de um prepúcio abundante não define uma indicação cirúrgica, uma vez que o prepúcio apresenta como função proteger a glande contra traumatismos, especialmente se tratando de crianças com idade inferior a 12 anos.
Normalmente, com exceção de crianças, a cirurgia é feita apenas com anestesia local com o cirurgião realizando um bloqueio no tecido subcutâneo da base peniana. As técnicas cirúrgicas são diversas; contudo, todos visam à remoção do prepúcio exuberante, de modo que, em seguida à sutura da pele, a glande apresente sua parte próxima coberta e a distal exposta. A cirurgia dura aproximadamente 60 minutos e, por conseguinte, o paciente está liberado para voltar à rotina.
Complicações pós-operatórias são incomuns. Podem ocorrer hematomas, infecções e, mais tardiamente, sensibilidade aumentada e dores.
Estudos recentes têm mostrado que homens que não são circuncidados apresentam maiores chances de contraírem doenças sexualmente transmissíveis quando comparados com homens que foram submetidos à circuncisão. Não se sabe ao certo ainda o porquê disso, mas acredita-se que o prepúcio proporciona um ambiente propício agente infeccioso, com um maior tempo de sobrevivência e oportunidade para adentrar o organismo.